Dia da Mulher, 8 de Março

VALORIZADAS

 

Onde quer que o evangelho for anunciado (…) também o que ela fez será contado em sua memória (Mc 14.9)

 

Ao longo de toda a história da humanidade, a mulher carregou as consequências da falta de reconhecimento do seu valor, dignidade e capacidade em um mundo machista no qual ela, na grande maioria das vezes, não é tratada ou considerada como equivalente ao homem. O avanço desde que as mulheres começaram a erguer a voz foi gigantesco, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido no âmbito global até que todas tenham direitos e valor verdadeiramente semelhantes ao homem.

 

Surpreendentemente, Jesus, na Palestina do primeiro século, desafiava constantemente os valores discriminatórios daquela sociedade, permeada por uma postura excludente em relação à mulher. Mulheres não eram contadas, não eram valorizadas e estavam à mercê de seus pais ou maridos. A postura de Jesus em relação à mulher é extraordinária. Ele confronta os costumes e tradições de seu povo que desvalorizavam a mulher e traz para o centro da cena. Para Jesus, toda mulher tem valor. Ele tinha várias amigas mulheres, como as irmãs Marta e Maria, Maria Madalena e algumas prostitutas. A todas, sem exceção, Jesus tratava com igual dignidade, valorização e honra, como se vê na leitura bíblica de hoje. Curou muitas que o buscaram, ouviu suas histórias, providenciou para que sua própria mãe fosse bem cuidada após a morte.

 

Se Jesus, em sua época e sociedade, desafiou os costumes e cultura ao dar à mulher o mesmo status de dignidade e honra do homem, cabe a nós, homens e mulheres deste século, fazer o mesmo, a começar pelas que moram em nossa casa, dignificando as que trabalham conosco, as que ensinam nossos filhos, as que estão em posição de comando ou de serviço, não importa. Seguir a Cristo passa pela valorização da mulher, seja ela quem for, sempre. Parabéns mulheres todas do nosso Brasil!

 

Jesus deixa claro que Deus sempre dá o mesmo valor a homens e mulheres – e esse também deve ser nosso padrão.